Sobre o que disse a Luisa

"Mas a minha crise é acreditar na diferença entre solteira e solitária! ver que nao sou chata, feia ou gorda por nao ter um namorado.. nem preciso ser infeliz com esse horizonte vazio! Ligo pras amigas e aproveito para conhecer lugares novos, contar as novidades ou só rir das bobagens de todo dia!" - Luisa, comentando o post abaixo "Socorro, virei uma mulherzinha".

Li o comentário da Luisa para o meu post e fiquei pensando: por que apesar de sabermos que somos MASSA, boas pra caramba, competentes e luxuosérrimas, ainda sentimos essa pontinha de insegurança quando não se tem um namorado?

Dá quase vergonha de admitir que esse pensamento já passou pela cabeça. Pela minha, eu confesso, ele ia e voltava mil vezes ao dia. Hoje tenho um companheiro, é verdade. Mas nem sempre foi assim. Aliás, na maior parte do tempo da minha vida eu fui SOLTEIRA. E solteira daquelas convictas, de avisar "olha benzinho, nem vem que não vai rolar mais de duas semanas com você".

De cara eu já analisava o rapaz, a situação, ficava me imaginando ter que apresentar ele pra família, ter que fazer "programinhas de casal", ficar em casa vendo televisão... só isso quando eu tinha o mundo das possibilidades na minha mão. Difícil de trocar hein?

Acabei desenvolvendo um verdadeiro pânico de compromisso. Claro que isso não é bom e tem raízes em outras coisas também - não só no fato de os homens atualmente estarem tão desinteressantes. Mas preferia mil vezes sair com as amigas, ficar em casa lendo, ir fazer compras ou qualquer programa a pensar em vestir a fantasia de namoradinha alheia.

Paquerar também era uma das minhas distrações preferidas quando eu estava single. Nada de levar a sério esse tipo de coisa. Eu desenvolvi uma técnica nos últimos tempos de solteira: abordar e conversar. O máximo que podia acontecer era uma resposta mal dada. Dai, passo adiante e vamos para o próximo. Claro que você não pode esperar que cada noite possa ser aquela em que vá conhecer o "homem da sua vida" - discordo essa designação porque parece que teremos apenas UM na vida inteira...

Claro que eu também me sentia sozinha. Isso no sentido de não ter uma companhia masculina que me inspirasse a dar o melhor de mim, que fosse sedutora, que se preocupasse, enfim, que gostasse de mim exatamente como eu sou. Esse tipo de sentimento faz a gente se jogar em cada furada! É preciso muito cuidado com ele. Transforma as maiores "roubadas" da vida em verdadeiros "príncipes".

E é nesse momento que precisa se entender uma coisa (ou ao menos tentar, sei que não é fácil): não existe namorado por merecimento. Tipo: sou legal, bacana, bonita, limpinha e isso equivale a eu conhecer um cara suuuuuper xuxu que vá ficar comigo. Definitivamente isso não acontece. Aliás, às vezes se dá ao contrário. Quanto mais você procura, mais homem desinteressante aparece. O que fazer nessas horas?

Acho que as mulheres, ANTES DE TUDO, precisam se auto-conhecer. Você sabe quem realmente você é? O que gosta? O que não tolera? O que pode melhorar? Que tipo de vida lhe agradaria ter? Como se diverte? Quem você vê no espelho depois que tira a máscara social usada no trabalho, diante dos amigos, para andar na rua?

Saber tudo isso ajuda a conhecer, exatamente, o que se quer. E não entrar em furadas para sofrer à toa (mulher adooora uma lágrima, não?). Ajuda a perceber que quando você se AMA de verdade (olha, não estou copiando nada de um livro de auto-ajuda) fica mais fácil compreender os outros e atrair coisas boas. Não importa se você é gorda, feia, barriguda, meio caolha, banguela, magricela ou manca. Definitivamente não é isso que conta. Saiba bem quem você é: acredito que isso já ocupa bastante do tempo e é meio caminho andado na hora de decidir se vale mais a pena ficar solteira ou não.

5 comentários:

Rafa disse...

adorei o seu post Lucy! eu sou uma solteira mais QUE assumida.
só não gosto da família me cobrando um namorado, um casamento, um relacionamento mais sério.
tô nova quero mais é me divertir, não vou negar que as vezes sinto falta de um carinho...um dia frio com um cara legal ao meu lado, mas logo passa.
e um dia vai acabar aparecendo um carinha bacana ! é só não se desesperar.

Patricia disse...

Olá Lucy!
Gostei muito do seu post! Pra lhe ser sincera, eu encontrei este blog muito por procurar alto ajuda!!! rsrsrsr! E acabei me deparando e me encaixando perfeitamente no papel mulherzinha! Vi que me encaixo vários dias no perfil, srsrsr (principalmente nos dias de TPM!). O mais interessante disso tudo é que eu tenho um namorado que é um pitel (eu pelo menos acho! rsrsrs) em todos os sentidos e mesmo assim às vezes quero estar solteira! Acho que é aquela velha história: estou solteira quero namorar, estou namorando quero estar solteira! Aff! Vai entender minha cabeça! Percebo o quanto esta fase dos 23 anos está sendo psicologicamente difícil pra mim! Ser linda, gostosa, bem sucedida, conseguir ir bem na facul, se companheira, cuidar das atividades domésticas, não ter neuras porque o namorado não ligou em um dia!!! AAAA! É definitivamente complicado manter a sanidade! Mas enfim... acho, pelo menos espero, que não seja somente eu que esteja passando por esta fase mulherzinha na vida! rsrsrsr! Ao menos quando li o post vi que não sou a única a ter neuras e tentar superá-las (o mais difícil!)

Adorei o blog!!! Sempre visitarei!

Flávia disse...

Perfect! Um dos melhores posts que você já fez! Muitas vão se identificar com ele...

luisa disse...

Lucy!!! que coisa esse teu post, em minha homenagem.. fiquei pasma! e olha que estava com uma amiga do lado dizendo que é a primeira vez que falo de coisas pessoais num blog.. daí abri prá mostrar o post do meu estresse urbano e vem essa teu comentário longo e fofo!!
Olha, eu nem sou gorda, chata ou feia... mas bate uma dúvida de vez em quando, nada que eu nao resolva nessa sua linha de auto conhecimento!
Eu gosto bastante de ser solteira nesse momento mas tem um pouco desse panico de compromisso sim, gato escaldado tem medo de água fria né? a gatinha aqui tá se secando ainda!
É isso, agora já to me sentindo praticamente uma esforçada também!
beijos,
luisa

vitoria disse...

hehehe,sou uma carente que já casou 5 vezes e odeia o casamento...pode?????
Não tem bela sem senão,dizia minha avó...adoraria ser capaz de me virar sózinha...nunca fui...