Ah, vizinhos...

Não, ninguém é obrigado a conviver com os vizinhos – nem aqueles colados à sua parede, de casa geminada, sabe? Dou bom dia, boa tarde, boa noite, mas nunca fui aquela pessoa espontânea, que faz amizade com todo mundo. Sou na minha. Já minha mãe, dá beijo até em porteiro. Tanto que no prédio em que morávamos, ele era a fim dela (sim, pode rir).

Num outro apartamento, tínhamos uma vizinha solteira - mas não solitária. Vira e mexe, mamis se queixava de não conseguir dormir direito devidos aos gritos e sussurros vindo do apartamento ao lado – graças à parede praticamente de gesso que separava seu quarto do dela. Isso quando a cama não batia na parede e era aquele estardalhaço...

Quando morava num condomínio de casas era uma “maravilha”. Acordava, abria a janela e dava bom dia a (o) vizinha (o) da frente. Só que lá a coisa era meio feia: o marido da moça bebia, o filho solteiro tinha 457 filhos espalhados pelo mundo e a filha era meio barraqueira. Um dia, em meio a uma briga homérica, a velhinha, mãe do marido, começou a gritar: “Fulana [minha mãe], vem acudir!!”. Da janela, a gente via um quebra-quebra. Era soco, puxão de cabelo, arremesso de celular... Mas minha mãe não foi, não. Em briga de irmãos, ninguém mete a colher.

Uma vez, no mesmo prédio do porteiro apaixonado, a minha gata Tainá resolveu dar uma de passarinho. Ela saiu da tela de proteção e ficou equilibrada num apoio de uns 10cm – eu morava no segundo andar. Quando ouvi os miados levantei da cama, abri a janela e vi o bichano rumo a vida eterna. Num salto, peguei o meu colchão e disparei escada abaixo de pijama, meias e tudo. Coloquei o colchão debaixo da janela e fiquei gritando frases como: “Volta pra dentro, Tainá”, “Ai meu Deus, ela vai se jogar”, “Ahhhh, cuidado!”, “Mãe, oferece queijo pra ela”. Não preciso nem dizer que existia pelo menos uma cabecinha por andar olhando pra baixo e assistindo a louca lá embaixo. Foi ao que me surge uma velha fdp no primeiro andar, bem debaixo do meu. Ela abriu o vidro para ver o que estava acontecendo e seus poodles começaram a pular e latir na janela. Eu, muito simpática, pedi graciosamente para que ela encostasse o vidro, pois os seus adoráveis cachorros estavam assustando ainda mais a minha gata-suicída. Sabe o que essa velha fez? Um gesto com a mão tipo “não estou ouvindo o que você está falando” e saiu. Olha, me subiu o sangue de uma maneira que eu me segurei pra não bater na porta e na cara dela. Como que ela não ouviu do primeiro andar o que eu GRITAVA do térreo? Eu sei que por uns minutos eu transformei a vida dela num inferno. Quando minha gata desistiu de pular e eu subi para o apê, eu e minha mãe fizemos uma serenata para ela: batemos com cabo de vassoura no chão, pisamos forte etc. Foi o nosso troco.

Mas todo este post foi pra contar um “causo” que aconteceu agorinha. No condomínio onde moro, tem uns vizinhos meio folgados. Quando eles se mudaram, batucavam na nossa cabeça até 10 da noite, pois seus pedreiros só podiam trabalhar pra eles à noite. Um belo dia minha mãe deu um “piti-doido” e ligou lá falando várias. Depois disso, mamis-amiga-do-mundo passa reto quando vê o casal.

Hoje, ao levar o lixo na rua, minha mãe deu de cara com quem? Sim, os vizinhos barulhentos. Só que ela estava de pijama e ficou morrendo de vergonha. Pra descontrair, deu boa noite e disse: “ééé, já estou de pijaminha”, ou algo assim, e saiu andando na frente deles. Quando ela entrou em casa se deu conta de que estava usando aquele pijaminha velhinho amarelho, que tem um RASGO GIGANTESCO no popozão. Imagine o que eles não riram dela depois – mas com certeza foi menos que eu, que caí na gargalhada.

Me conta seus “causos”, agora? Seus vizinhos são gente boa?

17 comentários:

Anônimo disse...

Vizinhos? detesto-os!comigo é só na base dos bem secos: bom dia/boa tarde/boa noite. Ô raça ruim... Ainda ontem,feriado aqui em salvador (independência da bahia) eu acordei as 06 da matina por causa da sem noção da vizinha de cima que arrastou um móvel na minha cabeça com toda estupidez e força. Em plena 06 h da manhã? adeus meu plano de dormir até mais tarde!
Detesto essa raça tanto, mas tanto que a menos de um ano vendi meu ap enorme e antigo no bairro que eu amava por causa de uma porca gorda e barulhenta que me atazanava a vida.
Aí lá vai eu, lutando atrás de paz,compro um ap gracinha, novinho, toda entusiasmada, fazendo uma economia dos diabos para decorar meu canto...e aí quem me aparce no ap de cima? uma capeta dos infernos pra me tirar do sério.
E agora? me mato?

Ana Barros disse...

Meus vizinhos são o anti-concepcional mais potente do mundo: eles têm um casal de bichos, quero dizer, filhos, que gritam e esperneiam o dia todo. E não estou exagerando. O moleque, de uns 4/5 anos, tem uma voz de taquara rachada e repete o nome da irmão umas 2568564867 vezes ao dia. A menina, de uns 2/3 anos, não fala, mas chora e berra o dia todo, pois tem tudo o que quer dos pais, que não sabem impor limites. Isto acontece das 7 da manhã até a madrugada, todos os dias...
Talvez seus visinhos nem sejam tão malas assim... rs

rafa disse...

minha vizinha do lado é gente finissima, Dona Marlene.
Ela não incomoda em nada, sempre muito gentil e educada. Agora a da frente o hospício já bateu ´para levá-la na semana passada.

Sou muito na minha então não conheço os outros vizinhos. Dou bom dia e nada mais... e minha mãe é igualzinha a sua, dá bom dia até para os cachorros na rua. Super popular, conhece cerca de 75% do pessoal do prédio...isso porque ela não mora comigo!
beijos

Flávia disse...

Quando se mora em apartamento é barra, tudo incomoda a gente.....
no meio da madrugada meus vizinhos arrastavam moveis, eu levava cada susto q achava q o mundo estava se acabando......um dia o namorado de uma , pegou ela com o ricardao, nossaaaaa!!!!!nesse dia, eu fiquei traumatizada, parecia q o ceu ia desabar.
hoje, moro em uma casa, tenho poucos vizinhos, mas sao todos gente boa.....por enquanto.

Luisa disse...

Sei que a base da nossa sociedade é a convivencia, sem essa coisa de grupo não teríamos comércio, cidades, países! Tudo lindo, mas dava prá nao ter vizinhos?! Tem cada maluco.. e a gente tem de conviver, não se pode escolher! Eu adorei a história do pijama da sua mãe, morri de rir aqui
Eu moro num prédio antigo, no térreo e de frente.. isso quer dizer que todos têm de passar embaixo da minha janela antes de entrar! já viu o problema? O mais engraçado foi com a mãe do Jorge, que deve ter uns 2 anos.. ela é mega insegura e fazia o maior drama prá se despedir dele todas as manhãs! Enquanto o menino não chorasse e gritasse ela nao ia embora, e isso bem na janela, às 8:00! Falo no passado porque consegui, depois de várias cenas hilárias (minhas, claro) convencer ela e o síndico de que seria melhor se despedir em outro lugar!rs
beijos

Patricia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patricia disse...

uahauauhauh!!! Eu tenho o mesmo problema da Luisa! Também moro no primeiro andar (terreo)! E por causa disso fico a par de tudo o que acontece no condomínio! E olha que agora eu fico em casa somente o fim da tarde/noite (pq to de férias)! O povo é realmente sem noção!!! Mas... nada que uma cara mostrada na janela de tipo "ou desconfia né?!?!? Sai da minha janela!" pro pessoal não ligar o desconfiomêtro!!!
O mais engraçado dentre vários causos que acontecem é o caso da "cama falante"! kkkkkkk! Foi assim que os vizinhos a apelidaram (também ouvi isto de alguém falando na minha janela!). É o seguinte, de tempos em tempos, uma """"senhorita"""" (merece várias aspas duplas!) fica gemendo em algum dos aps! Parece que ela coloca a boca pra fora da janela porque dá pra ouvir até os sussurros, sem contar a cama batendo na parede e os gemidos do dito cujo (que parece ser muito bem abençoado por Deus de acordo com o que se ouve!!!)!!! O negócio é que ninguem sabe de onde vem o barulho! E o que se vê quando isso acontece são todos os aps com as janelas abertas e várias cabeças curiosas para o lado de fora!!!

Aninha disse...

Tenho uma vizinha tão mala na minha frente que prefiro nem comentar. Mal amada e infeliz!

Susana disse...

Vizinhos são como um bálsamo para algumas coisas, e em outros lados, são piores que o fel.
Num antigo "conjunto habitacional", a vizinhança já sabia até a hora do nheco-nheco de um casal afoito - domingo, antes do Fantástico. O mais incrível é que a gente só ouvia a sinfonia feminina. Era um: -vem paizinho!, seguidos Ah! meu Amooooooor!, etc, e do cara: nenhum pio. Devia transar com a fronha na cabeça, vai saber... Só sei que a vizinhança ia pra janela tirar sarro. Alguns até respondiam: Tô chegando meu bem! Nem preciso dizer que o casal, inevitavelmente recebeu um apelido carinhoso: o elefante e a pombinha, pois o cara era um gigante perto da parceira mignon.
Por outro lado, existem sempre as pessoas que julgam ajudar, mas que na verdade só metem a colher pra atrapalhar a vida dos outros. Eu passei por um divórcio horroroso. Já não convivia com meu ex há mais de 10 anos. Mas a criatura encheu tanto que o proibi de entrar na minha casa. Ele não se contentou e berrava a plenos pulmões na calçada que o impedia de ver os filhos. Não demorou muito pra ser chamada no Conselho Tutelar. Depois de um tempo - a gente sempre acaba descobrindo - fiquei sabendo a autoria da denúncia anônima: minha vizinha do andar de cima. Fazer o que né? Tem gente que tem a vida tão vazia que se ocupa com a vida que acha que os outros levam.
Um abraço. Me divirto com as histórias de vcs.

Luisa disse...

Patricia, ainda bem que vc existe para me salvar! Sou a maior chata do meu prédio, por conta do térro/frente!

Hoje lendo de novo os post lembrei de uma história hilária: a gente tinha acabado de se mudar para um prédio, também no térreo (nao amo a situação gente, mas acontece!) e tínhamos um gato, Leo, que tava super acostumado com casa, aprontava todas e minha mãe passava o dia gritando com ele e fazendo barulhos, tipo bater palmas ou nas panelas que ele insistia em espiar.. era uma coisa educativa pro Leo, nunca batemos nele!
Pois um dia a síndica não apareceu com mais 4 senhoras dizendo que iam chamar o conselho tutelar?! E que minha mãe não podia tratar um menino assim.. mamãe sem entender nada respodeu que elas estavam na casa errada, que ela tinha duas filhas adolescentes, nenhuma criança! Aí uma velhinha surtou e disse que era um absurdo ela renegar o próprio neto e entrou para resgatar o "coitado do Léo"!!
Nossa a gente ria tanto delas, mas lá fui eu catar meu filhote, que nessa altura tava debaixo da cama morrendo de medo! Tudo resolvido e minha mãe fez mais umas amizades no prédio!
Maior vergonha essa coisa de se meter na vida dos outros!

beijos!

Caroline (carollziinha@bol.com.br)) disse...

kaakk
adorei isso aqui!!
nem sei como cheguei, mas só sei que ja me identifiquei de cara!
Bem, já sei todas as músicas de "Diante do Trono" e olhe que sou católica, daquelas que só vai na Igreja de vez em quando e olhe lá. Pois bem, minha querida vizinha do segundo andar às vezes "Surta" e repete o cd mil vezes!!! eita lele!!!

Bem, como moro no térreo, a outra vizinha que adora dar agua para as plantinhas dela, sempre deixa a porta de saída cheinha de gotinhas... de manha cedo, vc arrumada, querendo sair... rssssssssssssssssssssss

A Publicitária disse...

Só escuto o barulho da cama deles!!!
nhéco, nhéco, nhéco,nhéco, rsrsrsrsr

Anônimo disse...

Meninas,

Adorei este Blog...
Voces podem me dar dicas de livros e filmes ?
Gostei de vocês...

monicaty.monica@gmail.com

Monica

Cristiane disse...

Estes foram os comentários mais engraçados de todos os posts do blog. ADOREI! kkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Galera vcs deveriam ter mais o que fazer, para de olhar os defeitos dos outros e comece a olhar os seus. Bando de desoculpadoooosssssssss.

Patrícia! disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk...
Adorei os comentários...
Sempre morei em casa, e com certeza sempre teve alguns vizinhos, do tipo que batia em mulher... bem machão sabe...
Agora, na casa que estou morando, meus vizinhos eram muito barulhentos! Eles faziam festas no final de semana, de rolar a madugada... tive que mudarde quarto para conseguir dormir.
Depois tive um vizinho, de rua, que tinha um cachorro, e o abandonava na rua... ai ele vendeu o cachorro para uma pessoa que cuidava do infeliz... não se contentando, comprou outro, que tb era maltratada... ainda bem que ambos se mudaram da cidade... Será que foi o poder das minhas preces!
Bom, só sei que hoje vivemos na paz...

vitoria disse...

Um dos motivos q me leva a mudar de uma casa para um ap é que estou cheia da vizinhança...mas lendo td isto...!!!eita que me irá acontecer?kkk...:)