Cara a cara com a rejeição

Ontem passei por uma experiência que há anos tinha conseguido evitar. Me encontrar novamente com uma pessoa do meu passado responsável por um tiquinho de alegria e um oceano de lágrimas. Ok, mea culpa na história, afinal eu bem sei que sou louca por um caso complicado, por um homem complicado...

Muitas vezes, tantas quantas pude, consegui evitar de me encontrar com ele. Faz 5 anos que tudo aconteceu... ou melhor, que nada aconteceu, já que foi uma história tão mal resolvida que cheguei a conclusão de que só existiu para mim. No começo foi difícil me desencontrar dele: estava em todos os lugares e eu tinha que me esgueirar por trás de postes e portas. Depois ele foi sumindo, sumindo, sumindo... até que não restou nada, apenas um nome, uma lembrança longinqua de alguma coisa que apertava, inevitavelmente, um botão de desconforto.

Pois bem. Ontem eu o revi. Não foi possível evitar, como das outras vezes, mas também nem queria que isso acontecesse. De repente, nem importava mais. Quando eu vi a figura daquele que há tanto tempo me apresentou ao termo "coração partido" percebi que estava de cara com um estranho. Ele não conseguiu me encarar, por um bom tempo. Também não foi fácil para mim mirar no rosto que um dia eu tinha achado o mais atraente dentre todos. Passado o primeiro quarto de tempo percebi que ele não acionava mais nada dentro de mim, que era um verdadeiro estranho para minha pessoa (seria para essa nova pessoa?), que tinha sido um equívoco.

Não me senti mal diante dele. Nem bem. Não senti nada. Nem lamentei por um dia ter passado por tantos sentimentos ruins decorridos da nossa pseudo-relação. Faz algum tempo que entendi o que aconteceu naquela época, na qual meu mundo se chocou com o de alguém que já estava acostumado a destruir mundos alheios por pura vaidade. Eu não tinha experiência para saber disso, era só uma menina, estava começando a vida fora do meu universo particular.

O encontro foi asséptico, um acenar de cabeça, duas palavras, olhares que não se cruzaram. Mas como o destino é brincalhão e não dá ponto sem nó, se eu tivesse que falar alguma coisa para ele seria "obrigada". Graças a ele, acidentalmente conheci outro homem que é capaz de me dizer que sou o amor de sua vida. E reativou meu coração.

As linhas até podem ser tortas na nossa existência. Mas a escrita é quase sempre a certa, já dizia o ditado.

8 comentários:

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Lucy,
Realmente, há pessoas bem "didáticas" em nossas vidas...

Vanessa disse...

Luuuu! Que saudades!
Bjs,
Vance

Patty disse...

Sem comentários! Falou tudo pra quem teve uma decepção!

Aqui em "particular", hoje acredito que a decepção que já tive foi boa! Pode acreditar nisso??? Acho que sou paranóica! rsrsrs Aprendi que existem homens (aqueles que sabem que você é inocente e faria de um tudo para vê-lo feliz e por isso te sacaneam o máximo que podem) e homens (que fariam de um tudo para fazer você feliz) e saí um pouco do meu mundinho encantado onde depositava nele a experança de ser o príncipe encantado!

Claudia Goulart disse...

Que bom que teve final feliz.
Adoro final feliz, ainda mais se tiver aprendizado...
Gostei de visitar vcs.
bjs

Lucy Lane disse...

Olha Patty, concordo com vc sabe, quando diz que existem esses tipos de caras. Não escrevi o texto para ser rancorosa nem nada... tudo isso passou, como eu disse, faz muito tempo. E lidar com a rejeição, seja ela brutal, seja ela bem pequenininha, não é fácil pra ninguém. Algumas pessoas são "didáticas" mesmo, mas nem por isso a gente sofre menos. Em geral, só se consegue ter uma visão geral sobre as coisas depois que a gente não está mais envolvida nelas. Eu sei que essa relação acabou de me deixando bastante insegura com relação aos homens depois... fiquei tempos e tempos tendo casos superficiais sem deixar que ninguém entrasse de verdade aqui dentro. Na verdade isso só aconteceu na marra, pq conscientemente eu ficava sempre com o pé atrás quando o assunto era o outro e o meu sentimento por ele. Tenho ainda que trabalhar isso... espólios do passado, não é mesmo?
Beijos Lu

Leo disse...

Eu acho que todo mundo se decepciona de uma maneira ou de outra no amor. O segredo acho que está em saber encarar o problema com coragem e seguir em frente. Uma hora a gente acerta, não é? Cedo ou tarde, mas acerta.

E que todos os erros e problemas sirvam de aprendizado daqui pra frente.

Acho que a Lucy Lane na prática sabe bem disso, pois algo que marcou sua vida no passado hoje em dia não faz diferença, já que ela continuou seu caminho.

Ana Barros disse...

Eu tenho um lema que depois de uma experiência ruim, vem uma outra maravilhosa ! E neste caso ficou comprovado.
C.Q.D. (rs)
Bjos

Lucy Lane disse...

O que é CQD Ana, não capitei!?
Beijos
Lu