Em crise

Meu corpo salta. Instantaneamente, o coração dispara. Falta ar. Respiro fundo. Pensamentos ruins passam pela minha cabeça. Nessas horas, odeio estar sozinha. Me sinto mal, enjoada. Minha mente confusa não consegue distinguir a realidade da ilusão. Qualquer pensamento negativo pode se tornar realidade em questão de segundos. Meu corpo flutua, semi-apago, semi-vago, semi-vivo. Quero proteção, não posso ficar sozinha agora. Suspiro. Conto meus batimentos cardiacos enquanto tento me manter sã e acordada. Quero dormir, fechar os olhos. Nessas horas, odeio cinco vezes mais estar em lugares altos ou dirigindo sobre pontes e viadutos. Prefiro lugares pequenos e fechados, preciso me sentir segura. Suspiro. Suspiro. Suspiro. Passou.

Ok. Muita gente vai ler e pensar: "tadinha, a Cris enlouqueceu. Pirou na batatinha!". Outras, poucas espero, irão se identificar.

Farei um teste aqui, agora. A que o texto acima refere-se? Você já sentiu isso?

Daqui uma semana eu conto.

11 comentários:

Lucy Lane disse...

Nossa, choquei. Essa foto parece do filme Bruxa de Blair. Ficou style. Sobre o texto, acho que você está falando do Pânico e todas aquelas sensações que decorrem disso. Estranho vc falar de querer um lugar apertado, pq quando estou me sentindo mal preciso de horizontes, amplitude, espaços mega abertos. Gostei do texto, bem pungente.
Bjos
Lu

Cristiane disse...

Vou cometar seu comentário só daqui a uma semana... hehe

Luisa disse...

Acho que você fala da ansiedade, do panico que conseguimos controlar com uma dose de realidade... aquele que aparece quando a gente está sem defesas e some com um pouco de ordem no caos!
Eu também prefiro lugares amplos e muito abertos, como a Lucy. Já saí do escritório assim ausente, caminhei 10min e voltei.. a louca né? Mas tem horas em que as coisas perdem o foco e bate um medo incrível!
Pena que nao sai um texto assim depois, muito bom!
Bjs

Flávia disse...

Adorei o texto! Simplesmente o máximo! As pessoas costumam sentir-se assim quando estão em pânico, seja lá por qual motivo... super bem descrito, mas como a lucy disse eu não gosto de lugares apertados, e sim escuros e solitários, mas abertos.
Gostei muito do texto e estou curiosíssima para saber a continuação.

Patrícia H disse...

"Instantaneamente, o coração dispara. Falta ar. Respiro fundo. Pensamentos ruins passam pela minha cabeça. Nessas horas, odeio estar sozinha. Me sinto mal, enjoada." Já senti exatamente isso, algumas vezes, em situações de estresse extremo,o pior pra mim é o descontrole do coração e o aperto que dá (quase uma angina) e há quem diga que essas sensações se parecem muito com síndrome do pânico. É seu caso? Acho que é o meu. :(

Luana Marinho disse...

Sim, confesso q me sinto assim, às vezes.
Por isso, procuro sempre me manter ocupada.
É complicado ter medo dos próprios pensamentos...

Lucy Lane disse...

Cristiane, conta logo o babado vai!
Bjos

Irritadinha disse...

o pior é que muita gente se identifica.. assim como eu! não tenho vergonha de dizer que já tive algumas crises de pânico.. e depois q comecei a falar pras pessoas, elas acabam contando que tbm já tiveram. Acho que rola muito preconceito ainda e por isso todo mundo se esconde.. mas infelizmente é mais normal do que se imagina!
Bjinhos!

Isolda disse...

É exatamente assim que me sinto de ntro de um elevador!! Faço qualquer coisa para não estar dentro dele; subo 15 andares, desisto do compromisso, finjo que preciso de esportes..rs..enfim; Não gosto mesmo!!
Parabens pelo blog. Muito bom..
beijos

Ju Santos disse...

Ah!

Nem me fale desse tipo de sentimentos.
Sou assim quando passo por cima de pontes! Aff!

Não gosto, não gosto e não gosto!
´Sinto tdo de uma vez: calor, frio, angustia... Ah! Terrível!

Um bjo meninas!

Cristiane disse...

É muito difícil decifrar o que sentimos nestes momentos de pura adrenalina. Assim como vc, Ju, odeio passar por pontes. Uma vez eu estava dirigindo e esqueci o meu celular. Quando fui passar na ponte perto do meu trabalho, o trânsito parou. Minha filha, eu quase saí correndo e deixei o carro lá. Dá medo de perder o controle, sei lá. Enfim, é muito ruim.