Cuidado, lá vem o Dia dos Namorados

O que você comprou para o seu namorado? Se você está solteira, já comprou um presente para "si mesma"? Como vai passar o Dia dos Namorados?

É mais fácil sentir essa "pressão" da data quando se está solteiro. Mas não se engane: a babaquice do dia é para todo mundo. Falo isso porque o Dia dos Namorados é a mais mercadológica das datas do ano. Afinal, insuflar uma criatura apaixonada a consumir alguma coisa para dar à pessoa amada é tiro e queda, não? No meio dos celulares, chocolates, roupas, flores, ainda tem aquelas coisas bregolentas como almofadas de pelúcia escritas "I love you"; cartões com textos melosinhos em glitter, corações, lingeries que você vai usar uma vez na vida, de tão desconfortáveis...

Estou sendo ranzinza, é verdade. Mas o Dia dos Namorados perdeu seu real valor com essa história de presentes românticos. O original "Valentine's Day" não tem a ver com comprar um celular para o seu amado. Tem a ver com troca de sentimentos, olho no olho, um passeio de mãos dadas. É quase uma comemoração privada dos casais, não fica passando recibo na cara de quem está solteiro como se isso fosse um defeito.

A correria da vida moderna (isto é um clichê, mas é verdade) impede que tenhamos tempo para lidar com cada coisa em separado, com cada sentimento, vontade. Quantas vezes você não quis estar com quem te faz bem, mas ficou preso no trânsito, demorou demais no trabalho ou qualquer contratempo do gênero.

Defendo aqui um Dia dos Namorados intimista. Não é preciso um bando de tralhar bregolentas para ele (ou ela), você pode apenas ser simples. Divida um chocolate, caminhe no parque, revele uma foto... o mais importante: seja honesta com você. Com namorado ou sem ele, é só dessa maneira que você será mais feliz. Flores e caixas de bombom são apenas acessórios.

6 comentários:

Cristiane disse...

Muito verdade, Lu.
Adorei.
Acrescentaria:
Só para não passar em branco, que tal você mesma não preparar uma surpresa bacana e original? Eu, uma vez, fiz um mural de fotos e imprimi imagens nossas com frases sobre aquele momento.
Foi barato, simpático, e ele amou.

bj

cris disse...

verdade mesmo, amei o post.
hj tudo é gastar gastar gastar,, affe
e o sentimento?
é isso q deve ser comemorado.
bj
cris

Ana Barros disse...

Concordo !
Não tem comemoração melhor que um jantarzinho em casa a luz de velas (de presente ele pode lavar a louça pra gente, né ??!? rs)
Bjos

Nina disse...

O pior é que tudo hoje virou motivo de consumismo, páscoa, dia dos namorados, natal, dia das mães. E ai dá-se um presente e esquece do primordial o sentimento.

Lucy Lane disse...

BALANÇO DO DIA DOS NAMORADOS:

- 1h40m no trânsito, tentando chegar na casa do namorado. Mantras budisticos para não xingar ninguém de denro do carro.

- 1 LIVRO sobre os bastidores do filme Sex and the City, ganho de dia dos namorados. ÊEEEE!

- 1 LIVRO sobre 100 maneiras de meditar dado para o namorado. E aprovado.

- 20 tentativas de comer em algum lugar

- 1 lapso mental por esquecer que nem no drive-thru do McDonald's terá espaço para comer qualquer coisa que seja! (Ergh!)

- 0 alimentos comidos

- 1h40 no trânsito tentando voltar para casa com o traseiro mais do que quadrado.

Agora eu confesso aqui: eu subestimo as pessoas. Ignorei que a HUMANIDADE paulistana AMA o Dia dos Namorados. ADORA, espera o ano inteiro por isso. Porque todas as ruas estavam LOTADAS, tudo caindo gente, o horror, o horror!

Bjos
Lu

Clarissa disse...

O Dia dos Namorados virou uma febre mesmo. Só pra gente ter uma idéia, 85% de todos os cartões vendidos nesse dia são comprados por mulheres. os presentes mais dados pelos homens são buquês de rosas e caixas de chocolate...Abraços, Clarissa