Tempo, tempo, tempo


“És um senhor tão bonito quanto a cara do meu filho
Tempo Tempo Tempo Tempo, vou te fazer um pedido”


Cantar essa música mexe comigo... Antes, pela poesia das rimas de Caetano na voz de Bethânia. Hoje, por ser mais do que atual o pedido que eu precisava fazer para o tempo: “por favor, pare, que a vida corre e eu não estou conseguindo acompanhar”. É assim que me sinto ultimamente. Os dias passam que eu não vejo as horas, a semana passa e não consegui finalizar nada do que precisava e logo já chegou o meio do ano.


Mil cobranças pessoais e impessoais. Contas que ultrapassam o limite do possível, o dinheiro vai e não volta, o trabalho vem e não quer ir embora. Um paradoxo desleal. E o tempo que não aceita meu pedido de correr um pouco mais devagar.


Momentos de mudanças são importantíssimos para nós. Sempre nos questionamos se estamos preparados ou não, se elas aconteceram no tempo em que deveriam acontecer. Olha a palavra tempo de novo. O tempo nos rodeia, nos permeia e no seu movimento propício torna tudo muito impreciso.


Vocês se sentem como eu, querendo dominar o seu tempo e o sentindo esvair-se por suas mãos? Bem-vindos ao clube. “Ainda assim acredito ser possível reunirmo-nos / Tempo Tempo Tempo Tempo num outro nível de vínculo”. Que tal um outro vínculo com ele? E que tal um outro vínculo com você mesmo? Fica o convite... (e o da Bethânia também...)


4 comentários:

Marian Oliveira disse...

Será que em algum momento você já se pegou lembrando de coisas do passando e dizendo para si "Nossa, como passou rápido, parece que foi ontem."?
Talvez eu ainda seja muito nova, mas o tempo já faz falta. Seja pra dormir aquele soninho interrompido pelo despertador para enfrentar mais uma maratona, no meu caso, dividida entre escola, curso e outras responsabilidades ou para simplesmente ir num cinema se distrair.

As rotinas e cobranças podem ser diferentes mas, no final, todos só queremos uma "desacelerada".

Anônimo disse...

Oi Marian
tudo bem?
Concordo plenamente com vc. A gente quer apenas uma desacelerada. Acho que estamos criando tantas responsabilidades antes do que deveríamos que, mesmo sendo novas, como somos, já nos sentimos cansadas. Ruim, né?
Vamos levantar um bandeira "desacelere já??"
Beijos
Gra

Marian Oliveira disse...

Oi Gra (posso te chamar assim?)

Acho que o motivo de assumirmos tantas responsabilidades antes do tempo é a cobrança. Os pais cobram responsabilidae, os professores, os amigos, os chefes. No final, acabamos achando que "dá pra fazer mais uma coisinha" e isso acaba tomando todo o nosso tempo.

Ah, pode contar comigo pra levantar esta bandeira!
Beijos

Anônimo disse...

Oi Mariah
Claro que pode me chamar de Gra! Concordo com vc, a cobrança de fora é tão grande para assumirmos responsabilidades, e vamos tomando todas para nós como verdades inquestionáveis que chega uma hora que estamos assim.. Acabadas
Que bom que vc vai levantar essa bandeira comigo!
beijo