O fim da maldição da celulite

Há uma semana atrás, eu me olhava no espelho de frente, de costas, do avesso, apertava daqui, de lá e pensava: fudeu! Eu tenho celulite até no braço! Ok... Cinco kilos a menos e o problema amenizaria, mas não dava para perdê-los a jato.

Mas agora está tudo bem... Eu nem ligo mais. Encarar alguns dias de praia foi como uma terapia para mim. Já dei até nome para meus furinhos.

No primeiro dia você pensa, repensa e pensa mais uma vez se deve ir mesmo à praia. Veste o maior biquíni da mala – às vezes até o maiô -, uma bermuda e uma regata.
Na praia, se contorce toda para tirar a bermuda já sentada na cadeira – afinal, não quer que absolutamente ninguém repare que tem celulite. Mas bastam 10 minutos para perceber que existe bunda beeeeeeem pior que a sua. Barriga flácida, meu bem, é igual latinha de cerveja vazia jogada na areia.

No segundo dia, já está mais corajosa. Arrisca até alguns passinhos até a barraca de milho sem a canga. E dá-lhe mais celulite. Mulher, criança, adolescente e até homem.

No terceiro dia, meu bem, você já samba até de fio-dental, joga vôlei de praia e frescobol. É claro que baterá uma tristeza momentânea quando um corpo-sarado-malhado-bronzeado passar, mas não se deixe abater. Para cada corpo escultural, existem 100 “mao-menos” e 1000 bem ruinzinhos.

Se até a Jennifer Lopez tem...

3 comentários:

Lucy Lane disse...

Querida, fora que um bom bronzeado disfarça tudoooooo! Nem devemos mesmo ligar para isso!
Beijos

Cris disse...

Eu nem tô nem aí mais com nada... kkkkkkkkk

Deve ser a paroxetina... kkkkkkk
Já voltou da praia???
bjooooo e feliz ano novo..
ebaaaaaaa

Vance disse...

Tb quero praiaaaa!!! Feliz ano novo!!!!!